"Não tenho noção nenhuma de tempo,

“Não tenho noção nenhuma de tempo, mas ao que parece já fazem duas semanas que você não dá notícias, depois daquele dia que eu te chamei de idiota e você não gostou, mesmo você sendo um completo idiota, e você sabe, só não admite porque também é um baita orgulhoso e não quer dar o braço a torcer, mas tudo bem Oliver, se você acha que me ignorando as coisas se resolvem, você quem sabe, mas eu sei que daqui uns dias tu vai bater na minha porta pedindo perdão, e eu como sempre vou te perdoar, porque é isso que eu faço de melhor, perdoar suas idiotices… Eu fico repassando a nossa briga na cabeça e não consigo entender como começou, mas lembro bem de como terminou, você virando as costas e me deixando falar sozinha, sua tacada de mestre, sabe bem como me tirar do sério… nossa como eu te odeio nesse momento, como eu queria poder te dizer isso agora ou simplesmente te apagar dos meus pensamento por um minuto, você consome todos os meus neurônios, Oliver, e mesmo te odiando, ainda consigo te amar. Hoje te lembrei em todos os cantos, você estava em tudo e isso me irritou ainda mais, o que me alivia é que eu sei que você também deve estar quebrando a cabeça, onde quer que você esteja, minha prima te viu naquele café que a gente sempre vai juntos, só que você estava sozinho, eu sei que você estava pensando em mim, mas seu orgulho é tão gigante que te devora. E se eu bem te conheço você deve está se corroendo e pensado o que fazer, você é previsível, Oliver, eu sou lembrança e você é memória, eu sei que tô impregnada na tua cabeça e não saio dela e tu? bom, você nunca chegou a sair da minha.”

I Still Love You, Oliver.