“E eu, que estou de bem com a vida,

“E eu, que estou de bem com a vida, creio que aqueles que mais entendem de felicidade são as borboletas e as bolhas de sabão e tudo que entre os homens se lhes assemelhem.” – Friedrich Nietzsche

Fico pensando na simplicidade onde vive a felicidade, glorioso é o momento que a gente existe no instante em que nem nos damos conta, o agora, na naturalidade do caminhar, no respirar e perceber que no automático a gente simplesmente habita, gozando o que somos, sem nos preocuparmos com o que os outros vão achar. Claro que a gente se questiona o tempo todo sobre o que é a tal felicidade, mas a resposta muitas vezes está nos caminhos que escolhemos seguir para alcançá-la, não sendo necessário definir em termos de semântica o que realmente é, mas principalmente vivendo na essência o que acreditamos que ela seja.